ArtRio 2021 | 8 a 12 de setembro ArtRio 2021 | 8 a 12 de setembro

Casa Triângulo anuncia Nigredo, primeira individual de Thiago Rocha Pitta na galeria

15/06/2021 - Por ArtRio

Casa Triângulo, em São Paulo, abre dia 19 de junho ‘Nigredo’, primeira exposição individual de Thiago Rocha Pitta na galeria. A mostra trabalha questões do tempo e políticas reunindo a produção multimídia e mais recente do artista e texto do crítico Pedro Cesarino. 

Thiago explora através de vídeos, esculturas e pinturas a relação do homem com a natureza e o tempo. Sempre de maneira meditativa, o artista parece querer capturar fenômenos naturais por meio de técnicas e gestos simples e, ao mesmo tempo históricos, a exemplo de seus afrescos e aquarelas. Desde o início de sua carreira, Thiago explora as questões relativas ao surgimento do homem. Em suas obras iniciais, apresentava e trabalhava as células de cianobactéria, já havia uma busca pela origem da vida, um questionamento sobre processos, mas que, com o passar do tempo, se tornaram atualmente intenso e caótico. Thiago parece se encontrar neste momento, explora o caos após o surgimento da vida.

Nesta individual na Casa Triângulo, Thiago questiona todo o processo até aqui. As obras expostas incitam uma ação, o artista fornece os materiais primários para que o espectador tome a frente. Fósforo, madeira, portais e eclipses parecem direcionar este que observa a tomar uma decisão e, consequentemente, agir sobre o que lhe é proposto. Uma mudança parece estar iminente. Outras obras, ao mesmo tempo, evidenciam algo que já acontece, sem que precisemos fazer qualquer escolha, aqui somos apenas observadores. Em Nigredo temos o sentimento de que algo pode acontecer e, ao mesmo tempo, já está acontecendo e é justamente isso que sentimos ao adentrar o universo do artista nesta mostra.

Em obras como Phosphorum Amplificatio, e Portal Noturno, o artista parece fornecer os materiais que irão transformar o momento atual, transcender o tempo e lugar em que vivemos. O instante póstumo à ação é visível em outros trabalhos como Grande monumento alquímico e Incêndio no museu, onde uma ação se desenrola livremente e, curiosamente, alimenta-se dos materiais fornecidos pelo artista em outras produções. Já Retorno do Bendegó e Suplício de Cabral nos permitem presenciar o começo de um fim. A mudança do que foi e a promessa do que virá a ser.

Os eclipses retratados pelo artista podem representar, também, um ponto de mutação. Como no caso da obra Eclipse da Lua; 27 de julho de 2018 que pode ser percebido como um prenúncio do incêndio que atingiu o Museu Nacional em setembro do mesmo ano. Outro trabalho, Eclipse do Sol de 02 de julho de 2019 também parece anunciar o período desafiador que viria à frente no mesmo ano. Tais coincidências permeiam o trabalho do artista que irá inaugurar a exposição no dia 19 de junho e, dois dias depois, no dia 21, completa 20 anos de carreira e, não obstante, a data marca também o início do solstício de Inverno.

A promessa do novo e a premissa de um futuro se encontram nos registros do artista e em toda a sua produção que aparenta aprisionar um momentum. O tempo, como tido pela fenomenologia, é singular e pessoal, mas aqui em Nigredo, há uma socialização deste. Nascemos e estamos, todos, no mesmo barco em chamas ou até mesmo, observamos este incêndio acontecer – como no caso do Museu Nacional, a que a vídeo instalação The cloopen door faz referência – juntos.

Através dos trabalhos apresentados, o artista estimula o espectador a tomar frente em relação às situações que lhes são expostas. O tempo é paralisado durante a exposição, cabe àquele que observa decidir o caminho a ser tomado. A dualidade das escolhas também faz-se presente durante todo o percurso. O que pode salvar é também o que pode iniciar o fim.

 

Nigredo
19 de junho a 14 de agosto de 2021
Casa Triângulo
Rua Estados Unidos, 1324, São Paulo
Terça a sábado, de 11h às 19h

Pintura afresco do artista Thiago Rocha Pitta.

Thiago Rocha Pitta, Grande Monumento Alquímico, 2019. Afresco. 152 x 222 cm


Sobre o artista | Thiago Rocha Pitta. Tiradentes, 1980. Vive e trabalha em Petrópolis. Thiago Rocha Pitta recebeu em 2009 o Prêmio Open Your Mind da Fundação St. Moritz Art Masters, da Suíça, e em 2004 o Prêmio CNI-SESI Marcantonio Vilaça de Artes Plásticas. Entre suas exposições individuais destacam-se: Noite de Abertura,, Projeto Intervenções, curadoria de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil [2020]; O Primeiro Verde, Galeria Millan, São Paulo, Brasil [2018]; The First Green, Marianne Boesky Gallery, Nova York, EUA [2017]; Mapas temporais de uma terra não sedimentada, A Gentil Carioca, Rio de Janeiro, Brasil [2016]; Temporal Maps of a Non-Sedimented Land,, Marianne Boesky Gallery, Nova York, EUA [2015]; L’Eremo e Il Campo Accampa, Gluck50, Milão, Itália [2013]; Nostalgia of Pangea, Andersen’s Contemporary, Copenhague, Dinamarca [2012]. Participou de diversas exposições coletivas como: Heritage, Waterloo Billboard Commission, parte da exposição Among the Trees, Hayward Gallery, Londres, Reino Unido; FOR aig veit existen af vorld, Hå Gamle Prestegard, Hå, Noruega [2020]; Hugo França & Thiago Rocha Pitta: Tropical Molecule, organizado por Melanie Kress, Nova York, EUA; Oito décadas de abstração informal, curadoria de Lauro Cavalcanti e Felipe Chaimovich, Instituto Casa Roberto Marinho, Rio de Janeiro, Brasil; Passado/Futuro/Presente, curadoria de Vanessa Davidson e Cauê Alves, Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo, Brasil e 16th Instanbul Biennial, Istanbul Foundation for Arts and Culture, Istambul, Turquia [2018]; 30a Bienal de São Paulo – A Iminência das Poéticas, curadoria de Luis Pérez-Oramas, São Paulo, Brasil [2012]. As obras do artista estão presentes em coleções públicas como: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil; Hara Museum of Contemporary Art, Tóquio, Japão; Museum of Modern Art – MoMa, Nova York, EUA; Maison Européenne de la Photographie, Paris, França; Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo, Brasil, entre outras.


Na imagem: Thiago Rocha Pitta. The clopen door #1, 2020. still de filme. Edição: 1/5 + 2 PA. 120 x 80 cm

x Posso ajudar?