Sobre a obra

Cruzado Verde


Ficha técnica

Cruzado Verde 2009
Serigrafia
Edição: 3 : 30


Sobre o artista

Abraham Palatnik

Abraham Palatnik (Natal, Rio Grande do Norte, 1928).

Artista cinético, pintor, desenhista. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. De 1942 a 1945, estuda na Escola Técnica Montefiori em Tel Aviv e se especializa em motores de explosão. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni (1906-1951) e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv, entre 1943 e 1947. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro.

Convive com os artistas Ivan Serpa (1923-1973), Renina Katz (1925) e Almir Mavignier (1925). Com este último frequenta a casa do crítico de arte Mário Pedrosa (1900-1981) e conhece o trabalho da doutora Nise da Silveira (1905-1999), no Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro.

O contato com os artistas e as discussões conceituais com Mário Pedrosa fazem Palatnik romper com os critérios convencionais de composição, abandonar o pincel e o figurativo e partir para relações mais livres entre forma e cor. Por volta de 1949, inicia estudos no campo da luz e do movimento, que resultam no Aparelho Cinecromático, exposto em 1951 na 1ª Bienal Internacional de São Paulo, onde recebe menção honrosa do júri internacional. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar (1930), Mário Pedrosa, Franz Weissmann (1911-2005), Lygia Clark (1920-1988) e outros.

Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética.

Fontes:

Foto: http://brasileiros.com.br/2017/02/exposicao-aborda-trajetoria-de-abraham-palatnik-pioneiro-da-arte-cinetica/

Texto: ABRAHAM Palatnik. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 de Abr. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN

 

 
 


ANITA SCHWARTZ GALERIA

Rio de Janeiro / RJ

Anita Schwartz participa ativamente do cenário artístico brasileiro há 25 anos Após dirigir três importantes galerias, inaugurou em 1998 a galeria de arte contemporânea que leva seu nome, na cidade do Rio de Janeiro. Em 2008, a galeria foi transferida para um novo espaço com aproximadamente 700 m² de área distribuídos em três andares. No térreo está o salão principal, com 140 m² e pé direito de 6,8 m, planejado para receber mostras de grandes proporções. No segundo andar, uma sala de exposições de 96 m² e um terraço com um container destinado a vídeo-instalações, que comporta 20 espectadores.


Outras obras do artista