Sobre a obra

Jardim pra erê

Jardim Pra Erê foi uma instalação construída pelas artistas Bárbara Milano e Mônica Ventura para exposição Maternagem, individual de Bárbara, no inicio de 2021 na Oficina Cultural Alfredo Volpi (SP). Nela, as artistas construíram uma grande festa de erê, pensando no imaginário que permeia a construção da iconografia das crianças nas religiões afro-brasileiras. Além da instalação, houve a tradicional festa de erê, com bolo, doces e guaraná, além da soltura dos balões preenchidos de sementes, para que pudessem espalhar a mensagem criada pelas artistas por outros espaços.


Ficha técnica

Registro de instalação/site-specific com faixa, balões, sementes e brinquedos
Papel 100% algodão - Hahnemühle Photo Rag Satin, 310 g/m2 - acetinado
Fotografia: Bárbara Milano

Tiragem 02/12 disponível para venda

- Obra não acompanha moldura


Mônica Ventura Mônica Ventura nasceu em 1985 em São Paulo, onde vive e trabalha. Artista visual e designer com Bacharel em Desenho Industrial pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) - São Paulo, Ventura atualmente pesquisa filosofias e processos construtivos de arquitetura e artesanato pré coloniais (Continente Africano - Povos Ameríndios - Filosofia Védica). Suas obras falam sobre o feminino e racialidade em narrativas que buscam compreender a complexidade psicossocial da mulher afrodescendente inserida em diferentes contextos. Mulher negra, entoa sua memória corporal friccionando-a em sua ancestralidade a partir de histórias de sua vida e pesquisas. Em suas obras há um interesse especial pela cosmologia e cosmogonia afro - ameríndia para além do uso dos seus objetos, símbolos e rituais. Entre as exposições nacionais e internacionais das quais participou estão a individual "O Sorriso de Acotirene", no Centro Cultural São Paulo (2018), e as coletivas "Estratégias do Feminino" no Farol Santander (Porto Alegre, 2019), "Histórias Feministas" no Masp (São Paulo, 2019) e "Repartimiento - Luto Tropical" na Galeria Pasto (Buenos Aires, 2019) Em 2018 foi residente na Ocupação Coletivo Namíbìa, no Espaço VOID em São Paulo e em 2016 na Residência Artística Jardim Suspenso no Rio de Janeiro. ____ Bárbara Milano Fruto entre o preto, o branco e o ancestral da terra, Xukuru, de Pindorama. Nascida em Piracicaba, onde passa um rio... Vive e produz a partir da cidade de São Paulo e itinerâncias. A costura entre diferentes linguagens desafia a forma – do corpo como ato [performatividade] à fotografia como registro silencioso. Os trabalhos abordam questões de gênero; identidade; ancestralidade e espiritualidade. Seu corpo é suporte de vivências imateriais. Atualmente é mestranda em Artes pelo PPGA da UNESP com o projeto FOTOGRAFIA RITUAL; Pesquisadora nos grupos de pesquisa GIIP e cAt IA-Unesp/CNPq e integra o coletivo Nacional Trovoa desde 2020. Em 2021 realiza sua primeira exposição individual na OC Alfredo Volpi (SP): MATERNAGEM, com participação de sua mãe: Nazaré Soares, e Mônica Ventura, como artistas convidadas; e, texto-cura por Renata Felinto. Participou ainda do programa Pivô Pesquisa (SP) com a curadora Catarina Duncan. Bacharel em Artes Visuais pelo PPGA da UNESP (2015). A conclusão do curso marca o início de seu processo com outras linguagens e produção com outres artistas/pessoas: uma residência no campus para a construção de uma kombi/casa, obra relacional, DISPOSITIVO EM MOVIMENTO (2014). Em 2018 conheceu o Piauí para a realização das residências: Nove, de Francesca Lazzeri (It/Ho) e Demolition Incorporada, de Marcelo Evelin (Br/Ho), no Campo Arte Contemporânea em Teresina-PI. Em 2019 apresentou o trabalho de performance MÃE, atuando com sua mãe na coletiva LAVRA2019 que ocupou a Praça Tiradentes pelo Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica (CMAHO) - Rio de Janeiro-RJ. A obra integra a coleção particular Calmon-Stock.


Artistas Latinas

Rio de Janeiro / RJ

Criado em 2019 como uma plataforma de educação e difusão em artes visuais, o projeto Artistas Latinas vem no último ano desenvolvendo diferentes atividades para atingir sua principal meta: reescrever a história da arte a partir da perspectiva das mulheres artistas latino-americanas. Desse modo, procuramos criar um terreno de conexões culturais, trazendo visibilidade para estas artistas, mostrando a diversidade e possibilidades no âmbito das artes visuais criadas em nosso continente, levando a informação de maneira acessível, horizontal e gratuita. Através de projetos e discussões, trabalhamos diversas temáticas urgentes, necessárias para a compreensão das diferentes vertentes e possibilidades de produção. Através das nossas plataformas, são disponibilizados os trabalhos de mais de 150 artistas de 10 países diferentes, além de mais de 20h de conteúdo educativo e exposições virtuais, com conteúdos criados e selecionados em uma curadoria especializada. Nos últimos dois anos, nossa plataforma expandiu seu eixo de atuação e passou a se dedicar, em um dos braços principais, a inserção e representação de mulheres artistas sulamericanas em feiras de arte, pensando na apresentação e venda de seus trabalhos, através de um trabalho curatorial que pensa as diversas corporalidades e contemporaneidades da arte.


Outras obras do artista


A ArtRio utiliza cookies para personalizar a experiência do visitante em nosso site, analisar dados e ajudar em iniciativas de marketing. Ao clicar em “aceitar”, você está concordando com os nossos termos.