Sobre a obra

Aliança


Ficha técnica

2012
Crochê de corda de poliester e polipropileno [Crochet of polypropylene and polyester rope]
Edição de [Edition of] 300 | 233/300


Sobre o artista

Ernesto Neto

Ernesto Saboia de Albuquerque Neto (Rio de Janeiro RJ 1964).

Artista multimídia. Na década de 1980, estuda escultura com Jaime Sampaio e com João Carlos Goldberg na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage). Realiza ainda cursos de intervenção urbana e escultura com Cleber Machado e com Roberto Moriconi, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). Sua produção situa-se entre a escultura e a instalação. No início da carreira, sua trajetória é marcada pelas obras dos artistas José Resende (1945) e Tunga (1952), na exploração da articulação formal e simbólica entre matérias diversas. Mais tarde, passa a utilizar predominantemente meias de poliamida e outros materiais mais flexíveis e cotidianos.

Na segunda metade dos anos 1990, Ernesto Neto realiza esculturas nas quais emprega tubos de malha fina e translúcida, preenchidos com especiarias de variadas cores e aromas, como açafrão ou cravo da índia em pó. As esculturas apresentam alusões ao corpo humano no tecido que se assemelha à epiderme e nas formas sinuosas que se estabelecem no espaço. No final da década de 1990, Ernesto Neto passa a elaborar as "naves", estruturas de tecido transparente e flexível, que podem ser penetradas pelo público.

Fontes:

Foto: https://br.pinterest.com/pin/473440979553856517/

Texto: ERNESTO Neto. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 06 de Out. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

 

 
 


FORTES D'ALOIA & GABRIEL

São Paulo / SP

A Fortes D’Aloia & Gabriel é referência no circuito mundial do vigor e da qualidade da arte contemporânea no Brasil. Representa 40 artistas – entre brasileiros e estrangeiros, jovens e consagrados – através de um programa dinâmico e plural. Promove 15 exposições por ano, em média, além de lançamentos de livros, oficinas para crianças, exibição de filmes e conversas com profissionais da área. Participa das mais importantes feiras de arte do mundo e apoia regularmente publicações e exposições institucionais. Fundada em 2001 por Márcia Fortes e Alessandra D’Aloia como Galeria Fortes Vilaça, mudou seu nome em 2016 quando Alexandre Gabriel, que até então ocupava a posição de diretor artístico, entrou para a sociedade. Possui atualmente dois espaços expositivos, cada qual com sua própria identidade: o Galpão em São Paulo; e a Carpintaria no Rio de Janeiro.


Outras obras do artista