Sobre a obra

Caderno de Campo 2

“Caderno de Campo começou como um convite a sete trabalhadores da construção civil para desenhar sua rotina de trabalho no canteiro de obras durante um mês. Os participantes desenharam em suas casas - ao final da jornada laboral diária - e quatro reuniões presenciais de partilha (uma por semana) foram feitas. Em 2017, foi lançado o primeiro livro.
(...)
Senti que não pararia por ali. O tema “trabalho” se delineou como o “campo” ao qual eu convidaria grupos a se debruçar. Instigou-me a ideia de “zona de sombra”, expressão do arquiteto Sérgio Ferro para definir o canteiro de obras na história da arquitetura - um lugar “fora das ideias”, e cujos sujeitos que trabalham não possuem plataformas de expressão própria das relações que vivem cotidianamente. A escolha de profissionais do sexo para dar continuidade à experiência dialoga com esse interesse por cotidianidades de trabalho qua habitam essa “zona de sombra”. A oportunidade de realizar surgiu em Salvador (minha terra natal), a convite do projeto “Mulher Dama”, com apoio do MUNCAB - Museu Nacional de Cultura Afro-Brasileira.”

Esse livro foi publicado no contexto do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão, com curadoria de Júlia Rebouças; de 17 de agosto a 15 de novembro de 2019 no Museu de Arte Moderna de São Paulo.


Ficha técnica

Formato 24x17cm, 152 páginas, colorido, capa em Kraft 240gr e miolo e Off-set LD 90gr; acabamento em brochura. 1ª edição, 2019: 1000 exemplares.


Sobre o artista

Vânia Medeiros

Vânia Medeiros (Salvador, 1984) busca abordagens transdisciplinares em seus processos de criação e tem dialogado com saberes da etnografia, arquitetura, geografia, design e educação. Tem o desenho como um dispositivo de investigação em processos pessoais e relacionais, que ganha suportes diversos nos espaços expositivos, em ações urbanas e no livro. Exposições selecionadas incluem a individual "Atlântida" na galeria RV Cultura e Arte, em 2017; a coletiva "?", com curadoria de Catarina Duncan na Galeria Leme, em 2018; e mais recentemente o 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão, com curadoria de Júlia Rebouças. Vânia também foi indicada em 2017 e 2018 ao Prêmio Select de Arte e Educação, com o projeto Caderno de Campo.


RV CULTURA E ARTE

Salvador / BA

Galeria de arte contemporânea com foco curatorial nas artes gráficas (desenhos, pinturas, colagens e processos de impressão) e artistas brasileiros emergentes. Aberta em 2008 pelos sócios Larissa Martina e Ilan Iglesias, a RV Cultura e Arte apresenta um programa anual diverso oferecendo pelo menos quatro exposições juntamente com oficinas, conversas, visitas guiadas e exibições que estimulam um relacionamento mais próximo com a comunidade local, colecionadores e outros agentes das artes visuais. Desde 2011 a RV Cultura e Arte também desenvolve projetos editoriais como livros de artista e novelas gráficas (histórias em quadrinhos), além de projetos de formação de artistas e público, a exemplo da Incubadora de Publicações Gráficas.


Outras obras do artista


Podemos ajudar?