Sobre a obra

sem titulo #3 - serie macrame?

Rodrigo Sassi
sem titulo #3 - serie macrame?, 2020
vergalha?o de ferro e pedras portuguesas
60 x 20 cm
edicao 2/3 + p.a.


Ficha técnica

Rodrigo Sassi
sem ti?tulo #3 - se?rie macrame?, 2020
vergalha?o de ferro e pedras portuguesas
60 x 20 cm
edic?a?o 2/3 + p.a.


Sobre o artista

Rodrigo Sassi

Rodrigo Sassi desenvolve um trabalho que parte da sua relação e dialogo com o universo que o circunda. Busca no cenário urbano referências estéticas e conceituais que, processadas pelo artista, transformam objetos e materiais “oferecidos” pela cidade, em tridimensionais que tratam dessa realidade de forma abstrata. Suas obras expressam a não linearidade, o caos e as constantes transformações que sofrem nosso habitat, de certa forma, refletindo sintomas provenientes de nos mesmos. As composições são livres, irregulares e muitas vezes aparentam seguir aleatoriamente, ora interferindo no espaço, ora se deixando guiar por ele. Rodrigo Sassi graduou-se em Artes Plásticas pela FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado em 2006. Nesta época seu trabalho era voltado para a prática de intervenções urbanas, onde utilizava a cidade como suporte de atuação, reflexão e inspiração para suas obras. Com o passar do tempo, esta pesquisa urbana se transformou em referência para seu trabalho mais recente, hoje voltado para o tridimensional. Entre as exposições individuais mais recentes estão: Tríptico, FAMA – Fabrica de Arte Marcos Amaro – FMA (Itu, SP, 2019); Esquinas que me atravessam, CCBB-SP (São Paulo, SP, 2018); Mesmo com dias maiores que o normal, CCSP (São Paulo, SP, 2017); Prática comum segundo nosso jardim, Caixa Cultural Brasília (Brasília, DF, 2016); Tudo aquilo que eu lhe disse antes mas nem eu sabia, RedBull Station (São Paulo, SP, 2015). Entre as exposições coletivas estão: The humble black line – Frameless Gallery (London, UK, 2018); One in a million – Gallery Nosco (Marcelle, FR, 2018); 6º Prêmio Marcantonio Vilaça, MUBE – Museu Brasileiro de Escultura (São Paulo, SP, 2017); Atlas Abstrato, CCSP – Centro Cultural São Paulo (São Paulo, SP, 2016); Um lugar para ser, CCSP – Centro Cultural São Paulo (São Paulo, SP, 2015). Entre os prêmios, bolsas e residências estão: campo, studio residence, (Garzon, Uruguay), Ocupac?a?o Fa?brica Sa?o Pedro, FMA – fundac?a?o marcos amaro, exhibition prize (São Paulo, SP, 2018); sculpture space, studio residence, (Utica, NY, EUA, 2016); cite? internationale des arts de paris, studio residence (Paris, Fr, 2014); pre?mio - espac?o galeria sesi, sesi-sp, (Sa?o Paulo, SP, 2013); pre?mio - funarte de arte contempora?nea, (Brasília, DF, 2013); mamam no pa?tio – museu de arte moderna aluísio magalhães - studio residence (Recife, PE, 2012); pre?mio - 3o sala?o dos artistas sem galeria, (São Paulo, SP, 2012).


CENTRAL GALERIA

São Paulo / SP

Na Central celebramos a criatividade, a tolerância e a diversidade. Buscamos ser um espaço inclusivo online e offline. Desde 2016, sob diretoria de Fernanda Resstom, apresentamos um programa que busca integração com a cidade e transborda do espaço expositivo para o entorno da galeria. Em 2018, a Central mudou-se do galpão situado na Vila Madalena para o subsolo do Instituto dos Arquitetos do Brasil, no centro da cidade – onde funcionava o clubinho dos artistas –, e reafirmou seu propósito e suas diretrizes. Temos o compromisso de difundir e manter vivas reflexões sobre a arte contemporânea, no Brasil e internacionalmente, servindo como palco para experimentações e discussões relevantes na atualidade tanto por meio de proposições feitas pelo time de artistas em suas obras e pesquisas como por meio de debates suscitados pelxs curadorxs convidadxs em exposições coletivas ou individuais. Representamos artistas cujas poéticas orbitam no universo da arquitetura e da relação com a cidade e a paisagem. Oferecemos um espaço para explorar problemáticas atuais por meio da arte, democratizando o acesso à produção artística e aos questionamentos que ela propõe. Temos como objetivo ser uma plataforma de projeção nacional e internacional das carreiras dxs artistas brasileirxs representadxs no mercado de arte e em instituições culturais e auxiliá-lxs no desenvolvimento e no florescimento dessas poéticas. Dentre os programas que são promovidos fora do espaço da galeria destaca-se o leilão beneficente anual de parede do IAB, que visa angariar fundos para o instituto e ocupa os espaços do mezanino e do primeiro andar do edifício homônimo, assim como as conversas abertas entre curadorxs e alunxs da Escola da Cidade, faculdade de arquitetura situada na mesma rua. Tais trocas, embasadas no programa da galeria, culminaram em intervenções urbanas nos arredores do centro de São Paulo. Também apoiamos a produção de site-specifics e instalações públicas pela cidade e colaboramos para a elaboração de catálogos e livros de artista. Acreditamos que as ferramentas virtuais são fundamentais para ampliar a difusão da arte; por isso, apostamos em manter nossas plataformas digitais sempre providas de conteúdos gerados na galeria e a partir de suas propostas, fazendo o possível para oferecer ao visitante uma experiência do espaço expositivo com recursos 3D e registros fotográficos. Artistas Representados : Bruno Cançado, C. L. Salvaro, Dora Smék, Gabriela Mureb, Gretta Sarfaty, João Trevisan, Lourival Cuquinha, Mariana Manhães, Mano Penalva, Ridyas, Rodrigo Martins, Rodrigo Sassi e Simone Cupello. Central Galeria é membro da Associação Brasileira de Arte Contemporânea – ABACT e também parte do comitê gestor do Projeto Latitude.


Outras obras do artista


Podemos ajudar?