Sobre a obra

Bori: Oxalá 2008–2011


Ficha técnica

fotografia impressa com pigmentos minerais sobre Canson Rag Photographique


Sobre o artista

Ayrson Heráclito

Nasceu em Macaúbas, BA, Brasil, em 1968. Vive e trabalha em Cachoeiro e Salvador, BA, Brasil. Ayrson Heráclito é um dos principais nomes da arte da diáspora africana. Suas obras transitam pela instalação, a performance, a fotografia e o vídeo, lidando com elementos da cultura afro-brasileira. FORMAÇÃO 2011/2016 -Doutorado em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil. 1995/1998 - Mestrado em Artes Visuais, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 1986/1989 - Licenciatura em Educação Artística, Universidade Católica de Salvador, Salvador, BA, Brasil. EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS 2018 - Senhor dos Caminhos, curadoria de Pablo León de la Barra e Raphael Fonseca, Museu de Arte Contemporânea, Niteroi, RJ, Brasil. 2016 - Pérola Negra, texto crítico de Beatriz Franco, Blau Projects Galeria, São Paulo, SP, Brasil. 2015 - Généalogie des Matières, curadoria de Koyo Kouoh, RAW Material Company, Dakar, Senegal. 2013 - Atlântico Negro, curadoria de Bianca Cutait, Central Galeria, São Paulo, SP, Brasil. 2009 - MIP 2 - Manifestação Internacional de Performance, curadoria de Marco Paulo Rolla e Marcos Hill, Centro de Experimentação e Informação de Arte, Belo Horizonte, MG, Brasil. 2008 - Bori: performance arte, curadoria de Rose Lima, Teatro Castro Alves, Salvador, BA, Brasil. 2002 - Ecologia de Pertencimento, curadoria do artista, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 2000 - A Transmutação da Carne, curadoria de Peter Anders, Instituto Cultural Brasil Alemanha, Salvador, BA, Brasil. 1990 - Dentro do Escuro, curadoria do artista, Galeria Vila Imperial, Vitória da Conquista, BA, Brasil. 1989 - No Limite da Sagrada Família, curadoria do artista, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. BIENAIS 2017 - 57ª Bienal de Veneza, Viva Arte Viva, curadoria de Christine Macel, Arsenale, Veneza, Itália. - 2a. Changjiang International Photography and Video Biennial, Changjiang, China. 2015 - Bienal Internacional de Curitiba/Antípodas: diverso e reverso, curadoria de Daniel Rangel, Fernando Ribeiro e Teixeira Coelho, Museu Municipal de Arte – MuMA, Curitiba, PR, Brasil. 2015 - X Bienal do Mercosul, Mensagens de uma Nova América/Antropofagia Neobarroca, curadoria de Gaudêncio Fidelis e equipe, Santander Cultural, Porto Alegre, RS, Brasil. - 10ª Bienal de Fotografia de Bamako, curadoria de Bisi Silva, Musé National du Mali, Bamako, Mali. 2010 - II Trienal de Luanda, Geografias Emocionais: arte e afeto, curadoria de Fernando Alvim, Daniel Rangel, Luanda, Angola. 2005 - Kunst Film Biennial/Cartography of the South, curadoria de Solange Farkas, Colônia, Alemanha. 2001 - III Bienal do Mercosul, Arte por Toda Parte: poéticas pictóricas, curadoria de Fábio Magalhães e equipe, Santander Cultural, Porto Alegre, RS, Brasil. 1994 - II Bienal do Recôncavo, curadoria de Matilde Matos, Pedro Archanjo, Vitor Diniz et alii, Centro Cultural Dannemann, São Félix, BA, Brasil. 1991 - I Bienal do Recôncavo, curadoria de Antonio Brasileiro, Bel Borba, Juraci Dórea, Renato da Silveira, Vitor Diniz et alii, Centro Cultural Dannemann, São Félix, BA, Brasil. EXPOSIÇÕES COLETIVAS 2018/2019 - Ekstase, com curadoria de Anne Vieth et alii, Kunstmuseum, Sttutgart, Alemanha. 2018 - Arte–Democracia–Utopia: quem não luta tá morto, com curadoria de Moacir dos Anjos, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 2017 - Zwischen Erde und Meer: Transatlantische Kunst, curadoria de Mona Suhrbier e Jane de Hohenstein, Weltkulturen Museum, Frankfurt, Alemanha. - Axé Bahia: the power of art in an Afro-Brazilian metropolis, part of the Pacific Standard Time: LA/LA, curadoria de Patrick A. Polk, Randal Johnson, Roberto Conduru e Sabrina Gledhill, Fowler Museum, University of California in Los Angeles, Los Angeles, EUA. 2016 -Trânsito, curadoria de Alejandra Muñoz, Galeria da Associação Cultural Brasil Estados Unidos, Salvador, BA, Brasil. - Porque somos elas e eles, curadoria de Josué Mattos, Blau Projects, São Paulo, SP, Brasil. - Embeded South(s), exposição virtual, Vietnam. - Orixás, curadoria de Marcelo Campos, Casa França-Brasil, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Festival de Performance da Luz, curadoria de André Niemeyer e Arthur Scovino, Casa da Luz Espaço Cultural, São Paulo, SP, Brasil. - O que Vem com a Aurora, curadoria de Bernardo Mosqueira, Casa Triângulo, São Paulo, SP, Brasil. - A Cor do Brasil, curadoria de Paulo Herkenhoff, Marcelo Campos e Clarissa Diniz, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Vestígios:uma reflexão sobre o homem e o alimento, curadoria de Tainá Guedes e Daniel Rangel, Galeria Rabieh, São Paulo, SP, Brasil. - The Incantation of the Disquieting Muse: on divinity, supra realities or exorcisement of witchery, curadoria de Bonaventure Soh Bejeng Ndikung e Nathalie Mba Bikoro, Savvy Contemporary: the laboratory of form-ideas, Berlim, Alemanha. 2015 - Miroir-Effacement, curadoria de Gabriela Salgado, Galeria Imane Farès, Paris, França. - Wer hat Angst vor dem Museum, curadoria de Gabriel Salgado, Weltmuseum, Viena, Áustria. - CRU - Comida, Transformação e Arte, curadoria de Marcello Dantas, Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília, DF, Brasil. - Novo Banco Photo 2015, júri de seleção: Adriano Pedrosa, Bisi Silva e Luís Silva, Museu Coleção Berardo, Lisboa, Portugal. - Ficções, curadoria de Daniela Name, Caixa Cultural, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Memorias Imborrables: una mirada histórica sobre la colección Videobrasil, curadoria de Agustín Pérez Rubio, Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, Buenos Aires, Argentina. - Terra Comunal/Marina Abramovic + MAI, curadoria de Jochen Volz, Marina Abramovic e equipe, SESC Pompeia, São Paulo, SP, Brasil. 2014 - Histórias Mestiças, curadoria de Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, SP, Brasil. - Alimentário: arte e patrimônio alimentar brasileiro, curadoria de Jacopo Crivelli Visconti, Museu da Cidade/OCA, São Paulo, SP, Brasil. - Memórias Inapagáveis: um olhar histórico no acervo do Videobrasil, curadoria de Agustín Pérez Rubio, SESC Pompeia, São Paulo, SP, Brasil. - Do Valongo à Favela: imaginário e periferia, curadoria de Rafael Cardoso e Clarissa Diniz, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Alimentário: arte e patrimônio alimentar brasileiro, curadoria de Jacopo Crivelli Visconti, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Deslize Surfe Skate, curadoria de Raphael Fonseca, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 2013 - A Nova Mão Afro-Brasileira, curadoria de Emanoel Araujo, Museu Afro Brasil, São Paulo, SP, Brasil. 2012 - EUROPALIA-BRASIL, Incorporation: Afro-Brazilian Contemporary Art, curadoria de Roberto Conduru, European Centre for Contemporary Art, Bruxelas, Bélgica. - Full Brazilian and Other Rituals, curadoria de Dirk Jan Jager e Rose Akras, Oude Kerk, Amsterdam, Países Baixos. 2011 - 7th Berlin International Directors Lounge, curadoria de André Werner, Joachim Seinfeld e F. Longest Stein, Berlim, Alemanha. - Arte Lusófona Contemporânea, curadoria de Ângela Barbour e Nicholas Petrus, Memorial da América Latina, São Paulo, SP, Brasil. 2009 - Saccharum-BA, curadoria de Alejandra Muñoz, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 2008 - Atualização em ReTALHOS: PosTAIS da Bahia, curadoria de Cláudio de Sousa, Museu Municipal de Tavira, Tavira, Portugal. 2006 - Cosmogonia Cravo, curadoria de Kátia Fraga Jordan e do artista, Palacete das Artes Rodin Bahia, Salvador, BA, Brasil. 2005 - Discover Brasil, Ludwig Museum, Koblenz, Alemanha. 2004 - Primeiro de Abril, curadoria de Caetano Dias, Gaio e do artista, Espaço Cultural Galpão Santa Luzia, Salvador, BA, Brasil. - 15º Festival Internacional de Arte Eletrônica Videobrasil/Panorama do Sul: novos vetores, curadoria de Solange Farkas, SESC Pompeia, São Paulo, SP, Brasil. - Bahia a Fora, Galeria Terra Fértil, Buenos Aires, Argentina. 2003 - Líquidos, curadoria do artista, Galeria Caco Zanchi, Salvador, BA, Brasil. 2001 - Design 21, curadoria do artista, Felíssimo, Nova Iorque, EUA. 2000 - Performance - Ação, Instituto Cultural Brasil Alemanha, Salvador, BA, Brasil. - 25 anos da Galeria da Associação Cultural Brasil Estados Unidos, Associação Cultural Brasil Estados Unidos, Salvador, BA, Brasil. - Terrenos, Instituto Cultural Brasil Alemanha, Salvador, BA, Brasil. 1995 - Jovens Artistas da Bahia, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. 1993 - Artistas Emergentes, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 1990 - Colagens, Instituto Cultural Brasil Alemanha, Salvador, BA, Brasil. - Das Estrelas ao Asfalto, Museu de Arteda Bahia, Salvador, BA, Brasil. - Z Eros ao Infinito, curadoria do artista, Galeria de Arte Nata, Salvador, BA, Brasil. PRÊMIOS E SALÕES 2013 - 18ª Festival de Arte Contemporânea SESC Videobrasil, Panoramas do Sul, curadoria de Solange Farkas e equipe, SESC, São Paulo, SP, Brasil. 2007 - 16º Festival Internacional de Arte Eletrônica SESC Videobrasil, Limite/Remix, curadoria de Solange Farkas e equipe, SESC, São Paulo, SP, Brasil. 2002 -Prêmio Braskem de Cultura e Arte, Brasil. - 9º Salão da Bahia, júri de seleção: Franklin Pedroso, Gilberto Chateaubriand, Heitor Reis, Luiz Camilo Osório e Ricardo Ribenboim, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 1992 - XI Oficina Nacional de Dança Contemporânea, Concurso de Instalação e Performance, Brasil. - II Salão Universitário de Artes Visuais, Salvador, BA, Brasil. - II Salão Bahiano de Artes Plásticas, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 1988 - Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco, Recife, PE, Brasil. - I Salão Baiano de Artes Plásticas, Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. 1986 - I Salão Metanor/Copenor de Artes Visuais da Bahia, Salvador, BA, Brasil. RESIDÊNCIAS 2015 - RAW Material Company, Dakar, Senegal. COLEÇÕES INSTITUCIONAIS - Museum der Weltkulturen, Frankfurt, Alemanha. - Coleção Berardo, Lisboa, Portugal. - Raw Material Company, Dakar, Senegal. - Coleção Itaú Cultural, São Paulo, SP, Brasil. - Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, BA, Brasil. - Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. - Associação Cultural Vídeobrasil, São Paulo, SP, Brasil.


PORTAS VILASECA GALERIA

Rio de Janeiro / RJ

Portas Vilaseca Galeria foi fundada por Jaime Portas Vilaseca, em 2010 e funcionou até fevereiro de 2018 no bairro do Leblon, Rio de Janeiro, ano em que seu espaço foi ampliado para um edifício de três andares, no bairro de Botafogo, na mesma cidade. Hoje representamos 17 artistas brasileiros da história recente das artes visuais no Brasil. Nossa galeria caracteriza-se por duas frentes de trabalho: (a) a aposta em artistas ascendentes; e (b) a experimentação. Nascidos em diferentes gerações e oriundos de diversos pontos geográficos no Brasil, os artistas representados desenvolvem pesquisas em todas as linguagens das artes visuais – da pintura à performance, da escultura ao vídeo e sempre abertos à sobreposição de mídias. Mais do que meros produtores de objetos, cada um deles pesquisa o campo das artes visuais com preocupações relativas ao estatuto da imagem na contemporaneidade. Devido a isto, quando observamos as exposições realizadas, tanto na galeria, quanto em feiras de arte, fica claro que o ato expositivo é encarado como um ato experimental em que nenhuma proposição será igual à outra; os visitantes sempre terão uma experiência física e visual únicas. Nossa galeria, portanto, tem como valores a divulgação e a institucionalização no Brasil e no exterior de seu elenco de artistas; sendo necessário que as obras sejam, antes de tudo, um exercício de liberdade individual – seja para o público que as frui, seja para os artistas que as criam, ou, enfim seja para a galeria que as abrigam e incentivam. Portas Vilaseca Galeria é membro da Associação Brasileira de Arte Contemporânea – ABACT.


Outras obras do artista