Sobre a obra

dimensão fujipaper


Ficha técnica

Simone Cupello
dimensão fujipaper 2017
fotografias esculpidas
90 x 20 x 2 cm (cada)


Sobre o artista

Simone Cupello

Em sua trajetória Simone Cupello passa pelo cinema e pela arquitetura, é a partir de 2013 que começa a atuar efetivamente como artista visual. Sua poética se apoia fundamentalmente no recurso da fotografia e da imagem em um campo ampliado. O uso não convencional de fotografias apropriadas, vistas por ela como “resíduos tecnológicos" e operadas em maços, aponta para onde sua pesquisa se desenvolve: a materialidade da imagem e, junto a ela, à questões antagônicas, que lhe são inerentes, como tecnologia e afetos, presença e virtualidade, memória e esquecimento. O grande acervo de fotografias coletadas ao longo desse período pela artista torna possível a criação de instalações/esculturas que ao serem esculpidas assumem, muitas vezes, formas orgânicas semelhantes às da natureza, como pedras, cascas, rachaduras e relevos que, ao mesmo tempo que remetem ao que é palpável e físico, trazem à tona o alegórico, a forma forjada da paisagem. Entre as exposições individuais estão: Jardim de Yeda, Central Galeria (São Paulo, SP, 2018); Entornos, Centro Cultural Cândido Mendes de Ipanema (Rio de Janeiro, RJ, 2017); Olhares Privados, Centro Cultural Justiça Federal (Rio de Janeiro, RJ, 2016); Extracampos, Projeto “Mesmo Lugar” da Hermes Artes Visuais, Qualcasa (São Paulo, SP, 2015); Entre as exposições coletivas estão: Arte Londrina 7, Casa de Cultura da UEL (PR, 2019); 43°SARP, Museu de Arte Ribeirão Preto (SP, 2018); MONU - A Arte Delas, Marina da Glória (Rio de Janeiro, RJ, 2018);Frestas, Trienal de Artes, Sesc Sorocaba (Sorocaba, SP, 2017); Duas Naturezas, Central Galeria (São Paulo, SP, 2017); Abre Alas 12, A Gentil Carioca (Rio de Janeiro, RJ, 2016); Mostra Bienal Caixa de Novos Artista, Caixas Culturais de Curitiba, São Paulo, Brasília, Fortaleza, Recife, Salvador e Rio de Janeiro, 2015 e 2016; Fotos Contam Fatos, Galeria Vermelho (São Paulo, SP, 2015); Contraprova, Paço das Artes - São Paulo, SP, 2015); 24 e + Segundos Simone Cupello e Cláudia Briza, interferências na Cinemateca de São Paulo (São Paulo, SP, 2015).


CENTRAL GALERIA

São Paulo / SP

A Central Galeria promove exposições e fomenta o debate em torno da arte contemporânea. Em 2018 muda-se para o prédio histórico do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) projetado pelo renomado arquiteto Rino Levi, localizado no centro da cidade. Essa mudança reformula o espaço e o programa da galeria para estabelecer um diálogo maior com a cidade e o público, expandindo assim, a difusão da produção artística atual e potencializando as trocas e parcerias. O novo programa e dinâmica do espaço salientam o hibridismo e multiplicidade da arte contemporânea, acreditando que o conteúdo e as interlocuções propostas no âmbito da galeria podem transformar e conectar ideias e pessoas.


Outras obras do artista