Sobre a obra

Sem título, 2017

Efrain Almeida (Boa Viagem, 1964) é conhecido por esculturas em que ele molda meticulosamente a madeira, criando ora auto-retratos, ora animais característicos da fauna brasileira. Para a Cobogó, o artista desenvolveu uma série de carimbo sobre papel que apresenta uma grande borboleta preta sobre um fundo branco; pelo estilo artesanal do processo – traço marcante de toda a sua obra –, há pequenas variações de cor entre uma peça e outra, o que confere a cada edição um caráter único.


Ficha técnica

Múltiplo Efrain Almeida
Sem título, 2017
Carimbo sobre papel
Edição de 23 + 5 PAs


Sobre o artista

Efrain Almeida

Efrain Almeida de Melo (Boa Viagem CE 1964).

Escultor. Transfere-se para o Rio de Janeiro em 1976. Dez anos depois, inicia sua formação artística na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage).

Em 1990, participa de curso no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), e inicia pesquisas com diversos materiais, e escolhe a madeira como matéria-prima principal de seus trabalhos, que são compostos de pequenas esculturas. Nesse mesmo ano, trabalha como ajudante do pintor Hilton Berredo (1954).

A influência religiosa, recebida na infância em Boa Viagem, e o imaginário popular nordestino são temas presentes em seus trabalhos, que fazem referência a ex-votos. Realiza sua primeira exposição individual, Objetos, no Centro Cultural Sérgio Porto, no Rio de Janeiro, em 1993.

Participa da 1ª Bienal do Mercosul, em 1997, e da Bienal Internacional de Buenos Aires, em 2002.

Fontes:

Foto: https://www.supergiba.com/efrain-almeida-em-18-respostas/

Texto: EFRAIN Almeida. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 03 de Mai. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 9

 

 
 


EDITORA COBOGÓ

Rio de Janeiro / RJ

Em 10 anos de publicações, a Editora Cobogó construiu um catálogo de mais de 230 títulos, que tratam desde a filosofia do artista norte-americano Andy Warhol sobre uma sociedade de consumo, às entrevistas do curador suíço Hans Ulrich Obrist com pensadores e artistas de várias áreas, aos caminhos de construção das obras de diversos artistas, aos artigos do cineasta Cacá Diegues sobre a sociedade brasileira, as reflexões acerca da globalização e da arte do pesquisador Moacir dos Anjos, além da reedição do primeiro livro de John Cage publicado no Brasil, com tradução do poeta Augusto de Campos. Cada livro da Cobogó recebe o cuidado especial que vai desde o contato direto com o autor, o tratamento do texto, o cuidado com as imagens, passando pelo projeto gráfico, a textura do papel e o tipo de acabamento. Um caminho de desafios e conquistas, reconhecido, em 2016, na 58a edição do Prêmio Jabuti, com o primeiro lugar na categoria Livro de Arte, por Histórias mestiças, organizado por Lilia Moritz Schwarcz e Adriano Pedrosa. O catálogo da Editora Cobogó se destaca por livros de arte sobre artistas consagrados e também sobre novos nomes do mundo das artes. Foram publicadas monografias de Adriana Vareja?o, Nuno Ramos, Laura Lima, Erika Verzutti, Sonia Gomes, Marina Rheingantz, Mauro Restiffe, Paulo Nazareth e Iran do Espírito Santo. Em 2018, foram lançados livros de Katia Maciel, Maria Laet, Carla Chaim, Paulo Nimer PJota e Iole de Freitas, além do livro de colagens de Beatriz Milhazes.


Outras obras do artista