Sobre a obra

Templo

Num cruzamento de contextos, a ilustração de um dançarino do grupo de dança Oz Sem Limites Mc'z OFC e um fonograma pagode-espiritual registrado em vinil compacto, juntos, são convertidos numa suposição utópica, onde a experiência mística e sublime seria inventada pelos gêneros musicais mais populares na Bahia do começo do século XXI.


Ficha técnica

Livro de artista em formato 18x18cm (56x56cm aberto), 02 páginas, serigrafia sobre papel pólen bold
1ª edição, 2018: 50 exemplares numerados e assinados
10 unidades dessa publicação compõem tiragem especial e são acompanhadas de disco Hi-Fi compacto com o fonograma “Eu sou a margem (Templo)”.


Sobre o artista

Pedro Marighella

Artista visual de vocabulário múltiplo Pedro Marighella tem como principais interesses em sua produção o olhar sobre processos culturais, sociais e históricos (o lugar e o tempo), com destaque para o potencial crítico da diversão. Essa busca é sintetizada através de ilustrações, áudios e textos curtos que revelam aspectos de estranheza intrínsecos a esses temas e o resultado de seus trabalhos é um lugar de trânsito através de analogias obscuras e posicionamento crítico.

Entre suas atuações de destaque estão um projeto comissionado da 3ª Bienal da Bahia, participação nas mostras A Nova Mão Afro-Brasileira (Museu Afro Brasil) e Axé Bahia (Fawler Museum), e os prêmios pela 10ª Bienal do Recôncavo e Nam June Paik Award junto ao coletivo GIA do qual fez parte de 2003 a 2010.

Sobre seu trabalho, a curadora e pesquisadora Matilde Matos, em seu livro "50 anos de Arte na Bahia – 2ª edição ampliada" escreveu: "possuidor de um desenho primoroso, Pedro Marighella constrói, muitas vezes, suas obras representando multidões. O detalhamento e o movimento das figuras representadas, simplesmente com traço azul sobre o fundo branco, que descrevem confusões e brigas, se opõem à leveza do traço que lembra a composição de cores dos azulejos portugueses. Sua pesquisa foi feita em eventos de grandes aglomerações humanas, como o Carnaval e as festas populares da Bahia, quando saía tirando fotografias com uma câmera disfarçada em uma lata de cerveja. Marighella é um artista que consegue, sem se utilizar de estereótipos, um trabalho com inspiração regional sem perder a dimensão universal de sua arte".


RV CULTURA E ARTE

Salvador / BA

Galeria de arte contemporânea com foco curatorial nas artes gráficas (desenhos, pinturas, colagens e processos de impressão) e artistas brasileiros emergentes. Aberta em 2008 pelos sócios Larissa Martina e Ilan Iglesias, a RV Cultura e Arte apresenta um programa anual diverso oferecendo pelo menos quatro exposições juntamente com oficinas, conversas, visitas guiadas e exibições que estimulam um relacionamento mais próximo com a comunidade local, colecionadores e agentes da cena das artes visuais. Desde 2011 a RV Cultura e Arte também desenvolve projetos editoriais como livros de artista e novelas gráficas (histórias em quadrinhos).


Outras obras do artista